Banner
Conheça nossa
Loja Virtual

Empilhando carros: o que são e como funcionam os estacionamentos verticais

Engenharia e muita criatividade. Esses são os ingredientes para resolver o problema de déficit de garagens nas grandes metrópoles. Com sistemas de transporte coletivos que não suportam a demanda, cada vez mais as pessoas dependem de seus veículos para transitarem pelos conurbados urbanos. E se as garagens tradicionais não comportam tantos carros, o jeito é inovar. Confira a seguir o artigo sobre os estacionamentos verticais, a mais nova solução em garagens.

O conceito de estacionamento vertical

Os estacionamentos verticais são um modelo de edifício-garagem em que o sistema de condução dos veículos é totalmente automatizado. Os usuários não tem acesso ao interior, onde os carros são guardados, já que os veículos são direcionados para as vagas por meio de equipamentos totalmente robotizados.

De estrutura metálica, esses modelos de edifício dispensam lajes para pisos e elementos para fechamentos.  A solução é chamada de Sistema de Estacionamento Modular Automatizado (Modular Automated Parking Systems - MAPS).

Como funciona?

Funciona assim: o manobrista-robô pega o carro do motorista no trilho, eleva verticalmente, move lateralmente e estaciona o carro onde existir vaga. Para os funcionários, o serviço é apenas operar o equipamento.

Os módulos que compõem o estacionamento são formados por células que comportam dois ou quatro veículos. Tais módulos apresentam dimensões que podem acomodar a maioria dos modelos de automóveis.

Dentre as soluções para estacionamentos verticais modulados automatizados, destacam-se quatro tipos:

Sistema Módulo Lateral:

(Clique para ampliar)O modelo comporta dois veículos por pavimento. É uma boa opção para aplicar em recuos de edifícios, como por exemplo, para o retrofit de dois prédios existente. A utilização nesses casos, porém, pode esbarrar na legislação de Uso e Ocupação do Solo Urbano de algumas localidades, já que tais leis exigem que as edificações tenham um determinado afastamento. Em um espaço de apenas 2,50 m x 15,00 m, já seria possível a implantação desse sistema. A tecnologia dos elevadores é semelhante às adotadas nos elevadores convencionas, sendo que, em sua plataforma, deverá existir um dispositivo de transporte horizontal (Dolly), que permita retirar o veículo do compartimento de transferência, colocá-lo sobre a plataforma do elevador e, finalmente, transferi-lo para uma vaga livre. Essa tipologia de MAPS apresenta um rendimento de 12,89 m2/vaga.

Sistema Módulo Duplo 4

(Clique para ampliar)Cada módulo poderia comportar dois veículos de cada lado da estrutura, sendo, então, um total de quatro veículos por conjunto de módulo. O espaço entre os módulos é destinado para o movimento do equipamento transportador, que teriam movimentos horizontais e verticais. O elevador deverá ter uma coluna vertical, que se movimenta sobre trilhos dispostos no piso do primeiro pavimento. Guias secundárias dispostas horizontalmente em alguns dos pavimentos acima poderão dar maior estabilidade à estrutura da torre do elevador. Para o movimento vertical do elevador, este utilizará as mesmas tecnologias dos elevadores convencionais (como descrito no Sistema Módulo Lateral). Para a implantação de cada módulo é necessário um espaço de 4,50 m x 15,00 m, incluindo uma área livre no centro da estrutura de 4,50 m x 5,00 m destinada ao elevador. Essa tipologia de MAPS apresenta um rendimento de 11,25 m2/vaga.

O ponto negativo desta tipologia é o tempo de guardar e retirar os veículos. Como no sistema só há um único dispositivo de transporte, o processo perde agilidade. Para reduzir o tempo de operação a solução é investir em equipamentos mais velozes ou então aumentar o número de dispositivos, o que o que representa a perda de duas vagas por cada equipamento transportador.

Sistema Módulo Circular 4 

(Clique para ampliar)Para essa tipologia de sistema pode-se adotar como solução as mesmas configurações apresentadas no Sistema Módulo Duplo 4. A diferença, porém, é a disposição: no Sistema Módulo Circular 4 ela é em forma radial, totalizando quatro módulos por pavimento.Nesse tipo de sistema, o elevador não tem a capacidade de movimento horizontal, apenas movimento vertical e capacidade de rotação da plataforma dos veículos. Esse giro permite que o dispositivo de transferência dos veículos fique em posição adequada em relação à vaga. Essa tipologia de MAPS apresenta um rendimento de 11,53 m2/vaga.

Sistema Módulo Circular 12

(Clique para ampliar)Essa tipologia apresenta solução semelhante ao Sistema Módulo Circular 4, só que a forma radial abriga até doze veículos por pavimento. Para a implantação dessa solução, são necessários espaços muito maiores, mas, em compensação, o número de vagas também é maior. A ampliação desse sistema pode ser feita aumentando-se o número de módulos por pavimento e, consequentemente, atingindo uma maior otimização dos espaços. Essa tipologia de MAPS apresenta um rendimento de 17,20 m2/vaga.

Vantagens

São muitas as vantagens desse tipo de estacionamento: vão desde a construção até a aplicação no dia-a-dia. As garagens verticais costumam ser construídas a partir de estruturas metálicas, o que conferem a essa operação agilidade, limpeza na obra e a vantagem de poder montar e de montar a estrutura. Ao preferir esse tipo de solução à construção de estacionamentos subterrâneos, por exemplo, a vantagem também está no custo. A garagem subterrânea pode ser até 30% mais cara, pois inclui custos de escavação e obras de contenção. Evitando tais operações, diminui-se a produção de entulho e não há o risco de interferir nas barreiras de água do subsolo,  medidas que contribuem com a preservação do meio ambiente.

Além disso, com os estacionamentos verticais minimizam o espaço ocupado pelos veículos, a redução no pé-direito das garagens, otimizando os espaços e garantindo um maior número de vagas em uma superfície com menor extensão.

Outro benefício é que esse tipo de solução dispensa a construção de rampas, escadas, instalação de elevadores ou sistemas de condicionamento de ar e ventilação.  Depois de construídos, os estacionamentos verticais valorizam o empreendimento, já que apresentam mais vagas do que os estacionamentos tradicionais.

Aliado a tudo isso, os estacionamentos verticais dispensam manobristas, já que empregam manobristas-robôs, e esses, com certeza, não pedem gorjeta e muito menos sairão para dar uma voltinha não autorizada com o seu veículo.

Tecnologia internacional

(Clique para ampliar)Foram os americanos os primeiros a construírem esse tipo de estacionamento, mas a filosofia é alemã, nascida na década de 20 do século passado. Não é a toa, portanto, que o estacionamento vertical mais moderno do mundo fica por lá: em Wolfsburg, norte da Alemanha. A cidade abriga a Autostadt (cidade dos carros) da Volkswagen. Além do estacionamento automático, funciona na Autostadt o centro de distribuição de veículos e o parque temático da empresa, inaugurado em 2000, que recebe cerca de 5500 visitantes todos os dias.

O estacionamento é composto por duas torres de vidro e aço com 48 metros de altura, sendo que cada uma delas comporta 800 veículos. Cada um desses automóveis é rastreado no momento que entra na torre, e o sistema tem total controle de onde eles estão. O transporte de veículos se dá por meio de plataformas deslizantes e trilhos, que levam os carros para o centro da torre. De lá o veículo é erguido por uma plataforma robótica, e “estacionado” na vaga. O robô opera com perfeição milimétrica, o que elimina qualquer risco de arranhões ou amassados. Para operar com segurança, o equipamento conta com mais de 5 mil sensores em toda a torre. O manobrista-robô do estacionamento leva menos de 1 minuto para entregar um carro, sendo capaz de guardar 75 veículos por hora.

As torres funcionam como uma espécie de concessionária da Autostadt: os clientes podem retirar seus carros e vislumbrar o funcionamento da garagem vertical. Como as torras são ligadas ao centro de distribuição da Volks, os veículos também podem ser deslocados no interior dos prédios. Isso acontece por meio de esteiras rolantes que atravessam túneis subterrâneos. Dessa forma, a empresa proporciona aos visitantes o deslumbre de toda a tecnologia ligada à fabricação e armazenamento dos veículos.

Confira as imagens do estacionamento da Volkswagen, em Wolfsburg, na Alemanha.
(Clique para ampliá-las)

estacionamento-vertical-wolfsburg-3pestacionamento-vertical-wolfsburg-4pestacionamento-vertical-wolfsburg-5p

estacionamento-vertical-wolfsburg-6pestacionamento-vertical-wolfsburg1pestacionamento-vertical-wolfsburg-7p

Confira os vídeos do estacionamento da VW:

Vem mais por aí

A ideia de se investir em garagens verticais vem tomando forma no Brasil. A prefeitura de São Paulo, por exemplo, está analisando projetos para construir 64 garagens verticais na região do centro expandido. A proposta é que, a partir de 2012, as vagas na rua da região sejam substituídas pelas garagens verticais. Os módulos verticais passarão a operar com o sistema de cartões zona azul. A expectativa é aumentar as atuais 34.500 vagas de Zona Azul para um total de 60 mil. Com a criação dessas 32 mil vagas espera-se baratear o custo de estacionamentos na cidade, já que haverá uma maior oferta de vagas. Atualmente, na região do centro expandido, há empresas privadas que cobram até dezesseis reais a hora.

Fonte:

Portal Met@lica
Material de Apoio: Artigo "Sistemas de estacionamento vertical modulado em estrutura metálica", Ezequiel Mendonça Rezende e Antônio Maria Claret de Gouveia / Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

     
    M_in_noticia