Conheça nossa
Loja Virtual

Parafusos e Chumbadores: Técnicas de Fixação

Conhecimentos básicos na técnica de fixação

Não somente no projeto e na montagem, como também na venda e na assessoria aos clientes, é fundamental conhecer as variáveis que condicionam o emprego e a escolha dos sistemas de fixação. Por isso aqui faremos uma exposição geral das noções relativas a esta técnica.

1. Materiais (Base de ancoragem)

Classificação dos materiais de construção mais usuais A forma e o estado do material de construção sobre o qual é efetuada a ancoragem determinam, de forma decisiva, a escolha do sistema de fixação.

1.1. Concreto

O grupo de concreto está constituído por dois subgrupos: concreto leve e concreto normal. O que distingue o primeiro do segundo são as adicionais leves que aquele incorpora, tais como: áridos ligeiros, argila expandida, Styropor etc. Os dois tipos fundamentais contam com cimento como material aglomerante. Devido aos elementos leves, que apresentam uma resistência à compressão inferior à da brita do concreto normal, surgem dificuldades para a ancoragem de buchas e chumbadores. As cifras nas denominações dos materiais de construção expressam a resistência à compressão. Por exemplo, B25 significa que dispomos de um concreto com uma resistência à compressão de 25 N/mm2, segundo normas alemãs. A capacidade de sustentação de um fi xador para cargas pesadas (sobretudo se tratando de um chumbador) depende, entre outras coisas, da resistência do concreto.

  • Resistência nominal medida em cubo, com dimensões 200x200x200 mm3
  • Resistência nominal medida em cilindro, com diâmetro de 150 mm e altura 300 mm
  • Resistênsia nominal medida em cubo, com dimensões 150x150x150 mm3

1.2. Materiais para edificações

Uma edificação se compõe de tijolos ou blocos (peças de alvenaria) e concreto. Têm que ser considerados quatro tipos de peças de alvenaria:

1.2.1. Elementos maciços de material compacto (tijolos maciços)

Estes materiais são muito adequados para a fixação de buchas e chumbadores, pois na sua maioria não apresentam nenhum orifício e são muito resistentes à compressão (tijolos ou blocos com um volume de orifícios abaixo do limite contemplado na norma são considerados maciços).

Tijolo maciço e Tijolo maciço silício-calcário

1.2.2. Elementos ocos de material compacto (tijolos perfurados e ocos)

Na sua maioria são fabricados com materiais da mesma resistência à compressão que os maciços, porém dotados de orifícios. No caso de ter que transmitir cargas consideráveis a estes materiais, fixadores especiais terão que ser usados, por exemplo, que se travem nos orifícios ou que os preencham.

Tijolo e bloco oco ou perfurado e Tijolo e bloco oco ou perfurado silício-calcário

1.2.3. Elementos maciços de material poroso

Estes elementos de construção apresentam na sua maioria uma baixa resistência à compressão e muitos poros. Também neste caso têm de ser empregados fixadores especiais com grande superfície de expansão ou de união por aderência.

Bloco maciço de concreto com áridos ligeiros, tijolo maciço de argila expandida, por ex., “Liapor”, “Leca”; Concreto celular (“Ytong”, “Hebel”, “Siporex”, “Durox”, “Greisel”)

1.2.4. Elementos ocos de material poroso (tijolos ou blocos perfurados)

Na maior parte dos casos apresentam baixa resistência à compressão, espaços ocos e poros. Com estes materiais é necessário ser especialmente cuidadoso na hora de escolher e colocar o fixador adequado. Podemos utilizar, por exemplo, fixadores com a zona de expansão mais comprida ou buchas com malha de união por adaptação. 

Tijolo ou bloco oco cerâmico de termoargila (“Unipor”, “Poroton”) e Bloco oco de concreto leve, por ex., de pomes ou de argila expandida

1.3. Placas e painéis

O terceiro grande grupo compreende materiais de paredes finas, que também apresentam freqüentemente uma baixa resistência (por exemplo, placas de gesso acartonado: “Placo”, “Lafarge Gypsum”, “Knauf”; “Gyproc” “Norgips”; placas de fibras com gesso: “Fermacell”, “Rigicell”, madeiras aglomeradas, chapas de fibras aglomeradas, madeiras compensadas etc.). Para estes materiais devem ser escolhidos fixadores que transmitam a carga por travamento, o que significa ancorar diretamente sobre a face interior da placa, no espaço oco. Os fixadores adequados para tal fim recebem o nome genérico de buchas para materiais ocos.

2. Métodos de perfuração conforme o material base

Existem quatro tipos diferentes:

- Giro

- Giro acompanhado de freqüentes golpes de baixa intensidade efetuados com uma máquina com impacto

- Giro acompanhado de golpes mais espaçados, de alta intensidade. A máquina necessária para isto é um martelo eletropneumático.

- Outro procedimento é o sistema de perfuração com diamante ou com coroa, que se utiliza fundamentalmente para a perfuração de orifícios de grande diâmetro ou em zonas fortemente armadas.

O material base determina o método de perfuração

Elementos maciços de material compacto: percussão ou martelo. Tijolos ocos, materiais de baixa resistência e concreto poroso: Somente giro para que o diâmetro da perfuração não seja maior que o previsto e para que não sejam danificados os nervos nos tijolos ocos. Mais uma sugestão para a perfuração: se você afiar uma broca de metal duro igual a uma broca de aço, perfurará mais rápido.

 



     

    Preço
    R$ 74,90
    à vista

    ou em até 2x de R$ 37,45


    Preço
    R$ 99,90
    à vista

    ou em até 3x de R$ 33,30

    M_in_noticia