Fale conosco Anuncie Sobre o Met@lica Links Recomendados
OBRAS ARTIGOS TÉCNICOS MATERIAIS E PRODUTOS GUIA DE EMPRESAS TABELAS PROGRAME-SE NOTÍCIAS
A oitava maravilha do mundo: Brooklyn Bridge
Aquele que o vinho, as mulheres e a música não souber amar, um tolo eterno na vida será

Poesia datada de 1876 inscrita sob a ponte do Brooklym.

Fenomenal. A ponte do Brooklym suspensa sobre o East River é poesia congelada através dos anos.

A ponte oficialmente ‘’Ponte de Nova York e do Brooklym’’ foi a primeira ponte de aço suspensa do mundo e suas imensas torres de suporte, construídas em calcário, granito e cimento Rosendale foram consideradas as estruturas mais altas de toda a cidade de Nova Iorque na época.

A ponte conecta Manhattan ao Brooklym, possui 1820 metros, sua principal curva tem 21.486 metros. A ‘’Ponte de Nova York e do Brooklym’’ custou 188 milhões de dólares.

Foi a primeira ponte construída em moldes híbridos o que representava um grande marco na evolução da engenharia para os padrões da época e ainda o é até hoje.

O granito utilizado na construção de suas torres é oriundo da ilha Vinalhaven (Vinalhaven Island), no Maine e os blocos produzidos pela Bodwell Granite Company e transportados em uma escuna até Nova York.

A Brooklym Bridge foi denominada um marco histórico em 1964, um marco Nacional Histórico na Engenharia Civil em 1972 e em 15 de outubro de 1966 foi denominada uma estrutura do registro Nacional de Lugares Históricos.
Assista a um vídeo sobre a ponte do Brooklym para conhecê-la mais de perto.

Conceitos
Cabos de aço mantem a ponte suspensa no decorrer dos séculos
Sob o conceito de engenharia é denominada uma ponte uma híbrida pois é uma ponte suspensão cabos de aço e estaiada.

Em termos arquitetônicos a ponte pode ser classificada como Neogótica pois seu design alia formas góticas medievais à arquitetura em voga na época de sua idealização e que àquela altura era considerada moderna.

O design da ponte foi idealizado inicialmente por John Augustus Roebling, um genial arquiteto alemão já consagrado na época por seus inúmeros trabalhos.

Roebling que já havia desenhado e construído algumas pontes suspensas de pequeno porte tais como:

• O Aqueduto de Roebling Delaware, em Lackawaxen na Pensylvania
• A Ponte Suspensa de John A. Roebling em Covington no Kentucky
• Ponte suspensa Waco em Waca no Texas foi a escolha ideal para a execução da tarefa desafiadora.
Uma história singular
A ponte do Brooklym como é conhecida no mundo inteiro é uma edificação ‘’sui generis’’, tanto por sua história como pelos detalhes de sua construção.

Quem de longe a vê assim tão linda contra o céu de Manhathan sequer pode imaginar toda as histórias cativantes que a construíram.

Durante seus vários anos de construções, a ponte tem aguçado a curiosidade, a imaginação e inspirado positivamente as pessoas no mundo inteiro através de sua história que envolve perseverança, amor e solidariedade incondicional.

Desde o material empregado na época até a forma no mínimo inusitada que foi concebida para sua execução faz dessa ponte um marco singular sob diversas interpretações.

A ponte foi construída com numerosas passagens e compartimentos em seus ancoradouros.

Para construí-la prefeitura de Nova York alugou suas as imensas abóbadas embaixo do seu ancoradouro como um armazém de vinho pisa temperatura do lugar se configurava ideal para conservação do vinho, igual a 160 C em temperatura ambiente. Os armazéns foram abertos em 1876.

Este lugar foi chamado posteriormente de Blue Groto (Gruta Azul) por causa de um santuário da Virgem Maria construído próximo à entrada uma vez que a cor azul está associada às cores votivas da santa.

Cem anos mais tarde após a abertura dos armazéns foi encontrada uma citação espirituosa inscrita em suas paredes:

‘’Aquele que o vinho, as mulheres e a música não souber amar, um tolo eterno na vida será.’’

Sobre sua concepção e execução
John Augustus Roebling foi o gênio idealizador do projeto da ponte, mas desafortunadamente o brilhante arquiteto machucou seu pé em um acidente trágico enquanto supervisionava a obra sendo que tal ferimento resultou em sua morte.

Nessa ocasião seu filho Washington Roebling assumiu os trabalhos do pai, passando a ser o responsável direto pela construção da ponte.

Para construção da ponte foram realizadas complicadas manobra. Washington que não deixava nada a desejar à genialidade do pai empregou um método curioso, passou a utilizar ‘’caissons ‘’, palavra que significa literalmente ‘’caixões’’ em língua francesa.

Os ‘’caissons’’ de Washington eram semelhantes às balsas de madeira feita por nossos índios, mas com certo diferencial.

O método empregava caixões flutuantes pneumáticos que permitiam que os empregados navegassem no rio enquanto realizavam as operações necessárias.

Muitos empregados ficaram doentes devido ás rigorosas condições de trabalho a que tinham de se submeter, incluindo o próprio Washington Roebling que ficou incapacitado de se movimentar.

Debilitado, Roebling não podia mais supervisionar a obra pessoalmente, mas mesmo preso à cama o arquiteto o arquiteto continuou a orientar os trabalhos com a ajuda de sua esposa Emily Warren Roebling que fazia a comunicação entre o marido e os trabalhadores da obra.

Para melhor ajudar Roebling, Emily aprendeu matemática aplicada, cálculo, química, noções de arquitetura e intrincadas noções de engenharia.

Emily passou onze anos ajudando o marido a realizar e concluir o projeto desafiador.
A ponte vista à noite
No primeiro dia de sua abertura ao público um total de 1800 veículos e 150,300 pessoas cruzou a ponte, Emily Roebling foi a primeira a atravessar a ponte que ela ajudou a construir em 11 anos de grandes labutas e dificuldades.

A história da ponte é contada no livro A Grande Ponte escrito em 1972 por David McCullough e no documentário A Ponte do Brooklym realizado por Ken Burns
Love Locks
Para viver um eterno amor...
‘’Love Locks’’ na Ponte do Brooklym, amor pra toda a vida.
Diariamente casais nova yorkinos atiram as chaves de cadeados no East River.

Bem interessante, não? O motivo por trás dessa pratica é que por lá a crença é que se você escrever seu nome e do seu amor em um cadeado junto a uma data, trancá-lo e atirar a chave ao rio, a pessoa amada ficará para sempre unida a você.

Muito bonito. Mas a prática é oficialmente ilegal em Nova York, pois devido à imensa quantidade desses artefatos românticos que são lançados ao rio diariamente a fauna local tem sido bastante prejudicada, o que é no mínimo desastroso.

Ocasionalmente o Love Locks é retirado da ponte para consternação dos apaixonados.
Ficha Técnica

Nome da Obra: Ponte de Nova York e do Brooklym.
Design: Híbrido-Ponte Pênsil e Estaiada.
Mantida por: Departamento de Transporte da Cidade de Nova Iorque
Data de inicio: 1864
Data de abertura: 24 de maio de 1883
Comprimento: 1825 metros
Largura: 26 metros
Vão Central: 487 metros
Localização: Manhathan- Brooklym sob o East River, ligando Manhathan ao Brooklym Cruza: River East ( Rio East)
Estilo: Neogótico
Projeto e Design: John A. Roebling
Execução: Washington a Roebling e Emily Roebling
Material: Aço nos cabos e tabuleiros
Torres em alvenaria
Redação : Equipe Portal Metálica - Lia Gonzaga.
Data de publicação: 14/01/2016