Fale conosco Anuncie Sobre o Met@lica Links Recomendados
OBRAS ARTIGOS TÉCNICOS MATERIAIS E PRODUTOS GUIA DE EMPRESAS TABELAS PROGRAME-SE NOTÍCIAS
Pontes, Viadutos e Passarelas: Reduzindo Distâncias e Superando Obstáculos - Página 2
PASSARELA JOAQUIM FALCÃO MACEDO - PRÊMIO ABCEM 2008 Passarela Estaiada de Pedestres e Ciclistas no Mercado Velho Rio Branco/AC
A passarela compreende 200 metros, sendo que o vão central possui 110 metros e dois vãos extremos de 45 metros. A largura é de 5,50 metros.

A superestrutura foi projetada em seção caixão pontes, viadutos e passarelassuportada por duas colunas metálicas em um único plano de estais no lado interno da curva. Construída com tecnologia de estaiamento, tem sua estabilidade garantida pelas curvaturas vertical e horizontal apoiadas em duas colunas com 42 metros de altura das quais descem os cabos que a sustentam; por isso é considerada referência internacional e é a maior do gênero no país. Esta obra vem atender às necessidades locais devido ao grande número de transeuntes no local, em torno de 20 mil pessoas por dia, onde antes havia espaço apenas para automóveis, oferecendo risco aos pedestres
Cliente: Construtora Cidade Ltda.
Nome da edificação: Passarela Joaquim Falcão Macedo
Localização: Rio Branco/AC
Data de conclusão: 27/10/2006
Área útil/área total/pavimentos: 200 metros de comprimento e 5,50 metros de largura
Quantidade: 460 toneladas de aço e 830m³ de concreto
Tipo de aço utilizado: COS-AR-COR 500
Arquitetos e engenheiros do projeto estrutural: Outec Engenharia Ltda - Eng. Sérgio Nakamura
Fabricantes de estruturas de aço: Metasa S.A. Indústria Metalúrgica
Usina fabricante do aço: Cosipa
Passarela Verde

Com trânsito diário de 5 mil pessoas, a passarela agora conta com aspectos sustentáveis como telhado verde, elevadores, piso de pneus reciclados, entre outros. Foi inaugurada em novembro a primeira passarela Verde da cidade de São Paulo, localizada na Avenida Eusébio Matoso, Pinheiros. Embasada nos conceitos de sustentabilidade e de educação ambiental, a obra é uma parceria entre a prefeitura de São Paulo e o Unibanco.
Em uma passarela estruturada em aço (material 100% reciclável), já existente, foram adicionados
telhado verde, que retém as impurezas do ar e reduz o calor urbano; piso de borracha produzido a partir de reciclagem de pneus; elevadores para portadores de necessidades especiais; calçamento do entorno permeável, que colabora com o escoamento da água; coletores de recicláveis para a separação dos resíduos, dentre outros.

Aspectos de inclusão também foram pensados como piso de borracha para portadores de necessidades especiais e dois elevadores que garantirão acesso às pessoas com mobilidade reduzida como idosos e cadeirantes.

As laterais dos elevadores foram construídas com as ecoplacas, chapas planas fabricadas a partir da reciclagem de embalagens de pastas de dente.Segundo André Fakiani, diretor da Fakiani Construções, a sustentabilidade esteve presente em todas as fases do projeto e com esse intuito tem participado de programas de sustentabilidade para aprimorar e aplicar de maneira crescente os conceitos nos projetos da empresa “Na Passarela Verde, além da aplicação de materiais recicláveis e que interajam de maneira harmônica com o sistema local, é importante a questão social, ou seja, o entendimento das necessidades do ser humano como no caso da passarela em que entendemos que era fundamental a instalação da passarela provisória para que os pedestres fizessem a travessia de maneira segura nos quatro meses de obra. O projeto promete algo muito maior, realiza a ligação de duas importantes regiões e facilita o acesso das pessoas com estímulo para que utilizem o meio de transporte público”.
Passarela Miguel Reale – Passarela Cidade Jardim

Localizada entre a ponte Cidade Jardim e a confluência das ruas Brigadeiro Haroldo Veloso e Franz Schubert, junto ao Parque do Povo, no Itaim Bibi, São Paulo, SP, a Passarela Miguel Reale atende com segurança, praticidade e conforto, à travessia de pedestres da avenida Cidade Jardim, oferecendo acessos de circulação à estação da CPTM Cidade Jardim (Linha C) e ao Parque do Povo.

Contemplando diariamente mais de cinco mil pessoas que circulam pela área, a passarela foi projetada como uma calçada aérea, suspensa por 21 estais de aço apoiados numa coluna de aço autopatinável. É uma passarela estaiada. Entre os estais, o mais longo mede 53,5m e o menor 23,2m.
O projeto atende às normas de acessibilidade universal, com corrimão de duas alturas, piso tátil e elevador - localizado na extremidade junto ao Parque do Povo -, permitindo a circulação de pessoas com diferentes graus de limitação física. O projeto explorou a associação entre a concepção estrutural, arquitetônica e urbanística, resultando num conjunto coerente, composto também pelos novos calçamento e paisagismo, que renovaram a paisagem local. Realizada por meio de convênio entre Governo do Estado, Secretaria de Transportes Metropolitanos e Prefeitura Municipal de São Paulo, a passarela possui estrutura é mista, de concreto armado e metálica. O tabuleiro é de aço autopatinável com peso total de 114 t.
O estaiamento foi executado com cabos de aço de 32 mm diâmetro. O vão livre é de 85 m de extensão (para a passagem de caminhões com cargas especiais, comuns na região), e o comprimento total útil de 174,13 m. A fundação foi executada em estaca raiz com diâmetros de 20 mm com capacidade de carga de 50 t. e 25 mm com capacidade de carga de 80 Ton.
Os acessos à estrutura da passarela são, do lado da estação, em concreto armado e, do lado do Parque do Povo, em estrutura de aço autopatinável.
A iluminação noturna é feita com projetores direcionados para estrutura, sendo oito deles de 1000 W, direcionados para o mastro central; quatro de 400 W, direcionados para o elevador; e quatro de 400 W, na parte inferior da estrutura. Para o acesso à rampa, a iluminação é feita por dez postes de iluminação pública.

Local: São Paulo – SP
Arquitetura: Valente Arquitetos Data: 2006-2008
Cliente: CPTM - Companhia Paulista de Trens Metropolitanos
Execução: JZ Engenharia, Paulo Esteves (Calculista) e Luiz Hernesto Morales
Calculo estrutural: Paulo Esteves
Montagem: ADS Fort Indústria e Comércio de Estruturas Metálicas Ltda.
II Ponte Sobre O Rio Orinoco – Prêmio Abcem 2008

Localizada entre os estados de Anzoátegui e Bolívar, próxima à Ciudad Guayana, na região leste da Venezuela, a Ponte Orinoquia possui uma extensão de 3.120 metros e é constituída por um trecho estaiado de 1080 m onde estão os dois vãos principais de 300 m cada – sustentados por 4 torres - e 34 vãos secundários de 60 m, em trechos contínuos com até 360 metros. Trata-se de um ponte rodoferroviária, com a pista central de 5,0 m dedicada à ferrovia, duas pistas laterais com 8,5 m de largura, para veículos e duas pistas para pedestres de ~1,0 m.

O Projeto
A maioria dos pilares estão apoiados sobre fundações profundas, que envolvem um total de 384 estacas feitas com camisas metálicas de 16 mm de espessura, diâmetros de 2,0 e 2,5 m e comprimentos entre 9 e 86 m. O tabuleiro é formado por uma viga caixão central com 5,0 m de largura e 5,5 m de altura, que suporta a ferrovia. As mãos francesas de 9,0 m em ambos lados do caixão suportam as pistas rodoviárias, 2 faixas de 3,6 m em cada sentido e a passagem para pedestres com 1 m. Os pilares de concreto são em seção retangular celular com 3,0 x 7,0 m e altura máxima de 41 m. No trecho estaiado, as quatro torres em forma de H possuem 120 m de altura e sustentam 44 estais com diâmetros que variam de 180 mm a 240 mm, dispostos em forma de leque.

A laje de concreto armado possui 25 cm de espessura e incorpora-se a estrutura metálica por meio de conectores de cisalhamento, formando uma estrutura mista aço/ concreto. Nos vãos típicos de 60 m os aparelhos de apoio são em neoprene fretado, com características sismo resistentes. No trecho estaiado foram utilizados aparelhos de apoio metálicos. A ancoragem dos esforços longitudinais situa-se no pilar
P28 entre os vãos de 300 m. Na etapa final da fabricação, 42 módulos foram montados/ soldados no Brasil e transportados inteiros à Venezuela.
Proprietário: GVG - Corporacion Venezoelana de Guayana
Projeto: Consórcio Brave, formado pela Figueiredo Ferraz Consultoria e Engenharia de Projeto e a empresa venezuelana Lustgarten Y Asociados Ingenieros Consultores SC
Construtora: CNO - Construtora Norberto Odebrecht SA
Fabricante da estrutura metálica: Usiminas Mecânica
Eletrodos para soldagem: Aproximadamente 300t
Conectores de cisalhamento: 422 toneladas (aproximadamente 736.000 unidades) de conectores decisalhamento, pino com cabeça, tipo B, conforme AWS D1.5/96, item 7.3.
Passarela JK


Tipo de solução estrutural: Chumbadores, perfis soldados, cantoneiras laminadas, tubos, parafusos completos.

Nome da obra: Passarela JK – Juscelino Kubistcheck

Local: São Paulo
Extensão em metros: 60m
Vão em metros: 3 vãos de 20m
Fabricantes de estruturas de aço: Metasa S.A. Indústria Metalúrgica
Quantidade de aço utilizada: 65t
Usina fabricante do aço: Cosipa
Ponte dos Barrageiros – Itapura – SP

Duplicação do Vão – 80 m – Ponte dos Barrageiros Fabricação e montagem: CPC Estruturas

Consumo de aço: 400,00 toneladas
Lançamento da ponte sob asfalto; Lançamento sob Rio; Implosão ponte existente; Rebaixamento.
Trem-tipo: 45 toneladas
Cliente: CESP
Ponte dos Barrageiros – Itapura – SP
Passarela de Angola

Passarela metálica composta de 3 travessias em treliças, 2 com vãos de 43m e 1 vão de 32m, com 3 rampas de acesso compostas de 5 vãos de 12m, estrutura em perfis laminados e piso em pré-moldados de concreto armado, para a Projetec /Odebrecht.
Ponte Maia Filho

Nome da obra: Ponte sobre a barragem Maia Filho
Local: Salto do Jacuí – Rodovia RST 481
Extensão em metros: 349,5 m
Vão em metros: 35m
Fabricantes de estruturas de aço: Metasa S.A. Indústria Metalúrgica
Quantidade de aço utilizada: 500t
Tipo de solução estrutural: vigas contínuas alma cheia I, soldada em campo; 3 longarinas por vão com transversinas; com aço resistente a corrosão.
Usina fabricante do aço: Cosipa
Aeroporto Internacional De Brasília

Construção do Viaduto de Interligação das Pistas do Aeroporto Internacional de Brasília - DF

Trem Tipo: AIRBUS A380F
Fabricação e montagem: CPC Estruturas
Consumo de aço: 460,00 toneladas
Prazo de execução: 90 dias
Viaduto São Caetano

Local: São Caetano do Sul / SP
Extensão em metros: 56m
Vão em metros: 10 e 11m
Vão em metros em arco: 10 e 11m
Fabricantes de estruturas de aço: Metasa S.A. Indústria Metalúrgica
Quantidade de aço utilizada: 250t
Tipo de solução estrutural: vigas principais sustentadas por um arco metálico
formado de perfis soldados; ligações feitas com tubos metálicos entre longarinas e arco; transversinas de apoio soldadas/parafusadas às longarinas.
Usina fabricante do aço: Cosipa
Passsarela Como Uma Ponte Pênsil - Recife – PE


Comprimento: 60 m Largura: 30 m
Vão máximo: 54 m
Projeto: Stabile Engenharia e Arquitetura Colaboradores: Daniel Berenguer, Diego Oliveira e Luiz Augusto Vanderley
Aço empregado: aço de alta resistência mecânica e à corrosão atmosférica, com limite de escoamento de 250 MPa e 350 MPa
Peso da estrutura: 139,70 t
Fabricante de estrutura metálica: Vallourec & Mannesman do Brasil
Construção: Construtora Triumpho
Cliente: URB - Empresa de Urbanização do Recife
Local: Recife – PE Data do projeto: junho de 2002
Conclusão da obra: outubro de 2005
Passarela do Inpe - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Cliente: INPE - Instituto
Nacional de Pesquisas Espaciais
Obra: Passarela Aço A-36
Ano: 2002
VlP Paulistão

Local: São Paulo
Extensão em metros: 7Km
Vão em metros: 20, 30, 35 e 40m
Fabricante de estrutura metálica: Metasa S.A. Indústria
Metalúrgica
Quantidade de aço utilizada: 7000t
Tipo de solução estrutural: Passarela caixão treliçada, soldada/parafusada; longarinas, vigas perfil I, ligações soldadas, vigas caixão para apoio do mezanino soldados e treliçados
Usina fabricante do aço: Cosipa
Ponte Rodoferroviária abre Caminho para Agronegócio - SP/ MS

Projeto executivo: Sondotécnica, Planservi Engenharia, J. Mason Engenharia e RMG Engenharia
Projeto de fabricação e projeto de montagem das estruturas metálicas: Usiminas Mecânica e MG Engenharia
Comprimento: 2 600 m
Largura: 17,40 m
Vão máximo: 100 m Aço empregado: aço paginável de maior resistência à corrosão, com limite de escoamento de 350 Pa
Peso da estrutura: 20 650 t
Fornecimento e fabricação das estruturas metálicas: Usiminas Mecânica
Detalhamento da superestrutura metálica: RMG Engenharia
Construção: Constran e Usiminas Mecânica
Cliente: Fepasa - Ferrovia Paulista S.A.
Data do projeto: 1991
Conclusão da obra: 1995
Ponte Brasiléia

Tipo de solução estrutural: estaiada, longarinas em perfis I soldados, conectores dobrados de chapa, vigas transversinas tubulares em perfil U de chapa dobrada, perfis I parafusados, aço resistente a corrosão.
Local: Brasiléia/Acre
Extensão em metros: 118m
Fabricante de estrutura metálica: Metasa S.A. Indústria Metalúrgica
Quantidade de aço utilizada: 131t
Usina fabricante do aço: Cosipa
Passarelas Rodoanel

Ao todo foram 5 passarelas.

Cliente: Dersa
Execução: Sidertec
Ano: 2004
Fabricante de estrutura: perfis W e L da Açominas, material ASTM A-572 e A-36
Aço E Concreto Organizam Complexo Viário - São Paulo – SP

Colaboradores: Usiminas Mecânica e RMG Engenharia
Comprimento: 978,50 m
Largura: 7,60 a 20 m
Vão máximo: 50 m
Aço empregado: aço de maior resistência à corrosão atmosférica, com limite de escoamento de 50 MPa
Peso da estrutura: 2 300 t
Fabricante de estrutura metálica: Usiminas Mecânica
Construção: Consórcio Constran, Odebrecht /CBPO e Usiminas Mecânica
Cliente: Emurb - Prefeitura Municipal de São Paulo
Local: São Paulo/SP
Data do projeto: 1998
Plasticidade e Funcionalidade em Passagem para Pedestres - Cajamar – SP
Projeto: Roberto Loeb e Associados S/C Ltda.
Comprimento: 35.50 m
Largura: de 3.20 a 5,20 m
Vão máximo: 30 m
Aço empregado: vigas I: ASTM A36; perfis tubulares: ASTM A53 Peso da estrutura: 40 t
Fabricante de estrutura metálica: Forte Metal
Construção: Contrucap Engenharia e Comércio S/A
Cliente: Natura Indústria e Comércio de Cosméticos
Local: Cajamar – SP
Data do projeto: 1996-2001
Conclusão da obra: 1997-2001
Eusébio Matoso

Tipo de solução estrutural: Escadas, caixas de elevadores – perfil I – soldados, perfis laminados, chapas dobradas e tubos Ponte para pedestres sobre a Av. Eusébio Matoso
Local: São Paulo
Extensão em metros: 42m
Vão em metros: 18 e 21m
Fabricante de estrutura metálica: Metasa S.A. Indústria Metalúrgica
Quantidade de aço utilizada: 116t
Usina fabricante do aço: Cosipa
Ponte sobre o Rio das Ostras – RJ
Projeto: julho de 2004 a outubro de 2005
Obra: maio de 2005 a dezembro de 2006
Volume do concreto utilizado: 1,7 mil m³
Estrutura metálica: 268 t de aço SAC 300
Quantidade de aço: 210 mil kg
Número de estais: 30 estais com média de 38 cordoalhas cada
Comprimento total das cordoalhas: 42 mil metros
Vão total: 66 m
Vão livre: 42 m
Comprimento: 66 m Largura do tabuleiro: 22 m
Altura da ponte: 4,50 m da pista inferior até o fundo da viga e 5,55 m da pista inferior até a calçada
Projeto de arquitetura: João Pedro Backheuser
Projeto estrutural: Profip Industrial, Enescil Engenharia de Projetos e Ernesto Tarnoczy Junior
Engenheiro responsável: Catão Francisco Ribeiro
Execução: Carioca Christiani-Nielsen
Engenharia: Roberto Vairo, Gustavo Maschietto, Sergio Dantas, Jubert Tomé de Sá
Aço: Gerdau
Estaiamento: Protende
Guarda-corpo metálico: Plim 5011
Fabricante de estrutura metálica: Usiminas Mecânica
Ponte do Teatro Ópera De Arame
Fonte: Revista Construção Metálica - Edição nº 92 - ABCEM
Data de publicação: 09/11/2009
<- Voltar ao início