Fale conosco Anuncie Sobre o Met@lica Links Recomendados
OBRAS ARTIGOS TÉCNICOS MATERIAIS E PRODUTOS GUIA DE EMPRESAS TABELAS PROGRAME-SE NOTÍCIAS
Argamassa ou rejunte: Telhanorte esclarece as funções de cada produto
Durante o processo de construção e reforma da casa, algumas dúvidas podem surgir para aqueles que não estão familiarizados com todos os produtos que envolvem o universo da construção civil como, por exemplo, o rejunte e a argamassa. Trata-se da mesma solução? Onde e como usar cada um deles? Diante dessas dúvidas, o arquiteto César Augusto Pasquini, consultor da multiespecialista em construção e reforma Telhanorte, esclarece as principais diferenças e dá dicas para obter os melhores resultados com cada um dos produtos, que são essenciais para a instalação de pisos frios e revestimentos.

O arquiteto explica, objetivamente, a concepção de cada solução. “São produtos diferentes: a argamassa é utilizada para o assentamento dos pisos, enquanto o rejunte deve ser utilizado no acabamento entres as juntas”.
Pasquini comenta ainda como usar a argamassa e o rejunte:

Argamassa: Produzida com uma mistura de cimento, aditivos químicos e substâncias de origem mineral, como areia e quartzo, a argamassa é desenvolvida para ambientes específicos. “No geral, são encontradas argamassas para uso interno, externo, piso sobre piso, para porcelanato e pode ser cinza ou branca”, diz o arquiteto. Utilizar o produto específico confere maior qualidade e segurança na instalação, evitando problemas como o descolamento. “Geralmente, o consumo da argamassa fica entre 4 kg a 8 kg por m², dependendo do tamanho do revestimento. É importante ler e prestar atenção nas instruções da embalagem, que indicam o modo de preparo, modo de uso, tempo de secagem e validade do produto”, aconselha. Outra dica importante é referente ao armazenamento correto da argamassa, que deve ocorrer em local coberto, elevado e longe das paredes para evitar o contato com a umidade.

Rejunte: É produzido com cimento, grãos de areia muito finos e aditivos químicos, cumprindo o importante papel de manter os revestimentos vedados, longe da umidade, além da função estética. “Podem ser encontrados nas versões cimentícia ou resinada, como epóxi e acrílico,” ressalta Pasquini. O rejunte cimentício é fácil de usar e se adequa à maioria das obras do ponto de vista estético. Por isso, é a solução mais utilizada nos lares brasileiros. A versão epóxi requer aplicação mais delicada, mas possui maior resistência e acabamento melhor do que os outros tipos de rejunte. Já a versão acrílica é vantajosa por ser comercializada pronta para o uso, facilitando a aplicação, porém, o acabamento é modesto. “Antes de aplicar o rejunte, é necessário ainda limpar as peças para facilitar a penetração do produto. Dessa maneira, a aplicação terá acabamento perfeito”, conclui o arquiteto.
Fonte: Grupo Saint-Gobain
Telhanorte