Fale conosco Anuncie Sobre o Met@lica Links Recomendados
OBRAS ARTIGOS TÉCNICOS MATERIAIS E PRODUTOS GUIA DE EMPRESAS TABELAS PROGRAME-SE NOTÍCIAS
Entrevista - Arquiteta Patricia O´Reilly fala sobre o projeto Casa 88°



Perfil
Patricia O’Reilly é arquiteta urbanista, graduada pela Universidade Belas Artes, São Paulo, Brasil.
Atualmente é titular do escritório Atelier O´Reilly Architecture & Partners, com sede em São Paulo, Brasil.
Pós graduada em Ecologia da Paisagem pela FundaciòVS, Barcelona, Espanha.
Máster em Arquitetura e Meio Ambiente: Integração das Energias renováveis na Arquitetura pela Universitat Politècnica de Catalunya, Barcelona, Espanha.
Membro fundador do Sustainable Reference no Brasil, Ibero-American Broadcasting Company, consultoria e estudos de arquitetura sustentável.

P – Arq. Patrícia, comente um pouco sobre sua formação e áreas de atuação dentro da arquitetura.
R –
Atuo em um escritório, o Atelier O´Reilly Architecture & Partners, que é comprometido com o meio ambiente, com o âmbito social e econômico. Composto por uma equipe de profissionais especializados em arquitetura, urbanismo, paisagismo, meio ambiente, sustentabilidade e energia, o grupo está conectado a uma rede crescente de universidades, centros tecnológicos e centros de pesquisas nacionais e internacionais, sempre com o objetivo de desenvolver projetos e criar soluções inovadoras.

P - Como surgiu sua relação com a arquitetura sustentável?
R –
Em uma sociedade onde o respeito pelo meio ambiente é indiscutível, acredito que o arquiteto pode atuar no sentido de oferecer alternativas que garantem uma relação saudável e holística com a natureza e o entorno. Foi assim que surgiu a minha relação com a arquitetura sustentável. Acredito que é possível gerir os recursos naturais através de um conceito contemporâneo de arquitetura que adquire sua forma pelo entendimento de estratégias sustentáveis capazes de atender às necessidades e desejos da sociedade ao mesmo tempo em que respeitam a harmonia do meio ambiente.

P - Quando as questões de sustentabilidade começaram a fazer parte dos seus projetos e qual a importância atual delas?
R –
Em minha atuação profissional, sempre considerei aspectos ambientais, sociais e econômicos ao desenvolver soluções e projetos. Atualmente, os empreendedores e as empresas já estão atentos para essa forma sustentável de fazer arquitetura, principalmente em função de uma necessidade global crescente, um pensamento que precisa integrar a edificação ao seu entorno para utilizar melhor os recursos naturais e os potenciais de cada empreendimento.

P - Comente o projeto da CASA 88º.
R –
Atualmente estou desenvolvendo um projeto que se chama CASA 88°.
A CASA 88° é um projeto pioneiro em arquitetura sustentável holística, com equipe multidisciplinar, inovação tecnológica e grau máximo de eficiência em todas as fases de vida da edificação – projeto no papel, escolha de materiais, obra, uso com indicadores de desempenho mensuráveis, manutenção e retorno dos materiais à natureza. Acredito ser interessante abordar com mais profundidade o projeto da CASA 88º durante esta entrevista, então vamos lá.

Concretizado pelas empresas consorciadas Atelier O´Reilly Architecture & Partners, Gaia Construtora, MADO Janelas & Portas e Rewood Madeira Laminada com premissas de sustentabilidade em todo o seu ciclo de vida, a CASA 88° integra conhecimento e inovação tecnológica aos aspectos econômicos, ambientais, sociais e culturais.
Nos reunimos para valorizar a utilização de materiais ecológicos, certificados e reciclados; reduzimos o impacto ao entorno e ao meio ambiente; melhoramos a eficiência térmica, acústica e energética para atingir excelência em desempenho, conforto e qualidade de vida aos moradores.

MINIMIZAR O IMPACTO NEGATIVO + MAXIMIZAR O IMPACTO POSITIVO
A CASA 88° será a primeira residência com o grau máximo de certificação do Selo Consciente O’R 88° localizada no condomínio residencial Fazenda Boa Vista, da JHSF Incorporações.
O Selo Consciente O’R 88° gradua os projetos de arquitetura do Atelier O’R de acordo com estratégias e sistemas construtivos sustentáveis, entre os quais destaca-se a pioneira estrutura para cobertura Wave Stud®.
Estética e funcionalidade estão presentes na cobertura Wave Stud®, uma solução inédita no Brasil projetada para a melhora do desempenho térmico da residência e também para o aproveitamento acústico e benefício estético, sendo, ainda, protagonista da captação e reaproveitamento de água da chuva.

CASA 88° – 24HS AO VIVO
A obra da CASA 88° contará com a gravação de três câmeras de vídeo, o que possibilitará assistir “a live” a construção em todas as suas etapas. Os materiais e sistemas construtivos, passo a passo, poderão ser conferidos no hotsite do empreendimento (www.casa88graus.com.br). Uma equipe de difusão e comunicação da CASA 88° irá atuar com captação de imagens, assessoria de imprensa e produção contínua de conteúdo para gerar um documentário e um livro completo deste case de sustentabilidade, pioneiro no Brasil.

P - Hoje, a maioria dos empreendimentos tenta ter um selo sustentável ou adaptar uma coisa ou outra para sair bem aos olhos do público com relação ao ecologicamente correto. O que você acha dessa tendência e até que ponto ela é verdadeira?
R –

Acredito que apenas por existir já impactamos o meio, portanto não há como falar em ser 100% sustentável. Sendo assim, sempre vamos buscar, em todos nossos trabalhos, maximizar o impacto positivo e minimizar o impacto negativo, por exemplo, recuperando a mata nativa de um terreno.

P - Para o usuário comum, que planeja sua residência, que recursos de sustentabilidade ele pode incluir para contribuir com esse aspecto?
R –
É importante ressaltar que cada projeto tem suas características e especificidades muito particulares. Sendo assim, o ideal é criar soluções de acordo com as necessidades detectadas em cada empreendimento, seja este residencial, corporativo ou comercial. De qualquer modo, soluções em tecnologia e sistemas construtivos que possam viabilizar uso racional de água, materiais e energia devem ser sempre considerados por qualquer pessoa que busca por recursos sustentáveis em construções.

P - Quais as oportunidades e desafios do segmento e como é possível viabilizar projetos com esse perfil?
R –
Temos feito um trabalho bastante importante e daqui para frente, acredito que a sustentabilidade irá definitivamente estar presente em projetos de arquitetura e urbanismo exatamente por atender à uma necessidade crescente de empreendimentos que consideram aspectos ambientais, econômicos e sociais em equilíbrio.

Voltando ao projeto da CASA 88°, gostaria de apresentar depoimentos das empresas parceiras do Atelier O´Reilly Architecture & Partners sobre as oportunidades para o desenvolvimento de empreendimentos sustentáveis:

.................“A Conexão 88° é formada por estas quatro empresas - Atelier O´R Arquitetura, Gaia Construtora, MADO Janelas & Portas e Rewood Madeira Laminada. - com especialidades complementares e o interesse comum de comprovar a viabilidade do desenvolvimento de negócios sustentáveis no mercado brasileiro”, conta Eduardo Busin, diretor da Gaia Construtora. Com visão racional para o uso de recursos naturais, Busin acredita que hoje sustentabilidade é um diferencial, mas a longo prazo significará uma premissa obrigatória não só na construção civil, mas no modo de vida das pessoas.

................. “A criação do grupo vai de encontro com os nossos princípios e valores. Sempre acreditamos em arquitetura e construção sustentável, em todos os aspectos. Desde a sua concepção até a execução com a contratação de fornecedores que tenham a mesma visão. Acreditamos em trabalho colaborativo. Cada um com sua especialidade, que é sempre somada à visão de todo o processo”, esclarece Alexander Takata, diretor da MADO Janelas & Portas. Com uso de madeira de reflorestamento Lyptus, a MADO desenvolveu todas as soluções em esquadrias e caixilhos da CASA 88°.

................. “Nos reunimos em busca de uma resposta eficaz frente ao desafio atual de reconstrução do nosso planeta”, finaliza a arquiteta urbanista b>Patricia O´Reilly, porta-voz da CASA 88°. A Conexão 88° conta, ainda, com um grupo de parceiros projetistas, arquitetos, engenheiros e paisagistas que atuam de modo integrado para alcançar o objetivo comum de viabilização de um case de sustentabilidade brasileira.

P – Como visualiza o crescimento do setor no Brasil, a situação atual e as perspectivas para o futuro?
R –
O Brasil está se transformando em uma referência mundial no setor da construção sustentável. Várias iniciativas voltadas para a solução de problemas crônicos nas grandes cidades apontam para a consolidação de um novo momento. As edificações verdes já representam 9% do Produto Interno Bruto (PIB) da construção civil e crescem 30% ao ano, segundo estudo da consultoria EY. Esse mercado de R$ 13 bilhões tem levado ao centro do debate sobre sustentabilidade, cada vez mais constante, alguns temas tais como eficiência energética, uso racional da água, técnicas construtivas inovadoras e novos materiais que favorecem o conforto e o bem-estar.
A CASA 88º é um projeto pioneiro por desenvolver e aplicar conceitos sustentáveis em todas as etapas do projeto, passando pelo canteiro de obras e escolha dos materiais que serão utilizados, até a fase de uso quando os moradores estiverem habitando a residência. O projeto desponta no mercado da construção civil brasileira para comprovar a viabilidade do desenvolvimento de negócios sustentáveis como uma resposta eficaz frente ao desafio atual de (re)construção do nosso planeta.

P- Quais são os custos e a viabilidade de uma obra sustentável?
R -
O custo depende do percentual de sustentabilidade desejado para o empreendimento, é possível fazer uma construção sustentável em graus diferentes, de acordo com as necessidades de quem vai ocupar aquele espaço.
O custo para fazermos iluminação com captação fotovoltaica, pode se equiparar ao custo de uma iluminação com captação convencional se houver um estudo de custo x benefício em longo prazo. Com o uso de recursos e tecnologias já disponíveis no mercado é possível inovar e ser sustentável unindo respeito ao meio ambiente e viabilidade econômica.

P - Como vem se dando essa consciência ecológica de profissionais e das pessoas?
R –
Sem dúvida a consciência da necessidade de ser sustentável vem ganhando muito espaço não só entre os profissionais, mas, de maneira geral na sociedade. A cada dia conseguimos implantar novas estratégias e novas tecnologias para melhorar o desempenho em sustentabilidade das construções em todas as áreas do país.
Isso é uma tendência de comportamento, as pessoas estão mais ligadas na melhora da qualidade de vida, na melhora da qualidade do meio ambiente em que se vive. Estamos sentindo na pele o que está acontecendo com o planeta e isso é decorrência de muitos anos de ações com grande impacto no meio em que vivemos. Uma vez que a população não para de crescer, essa consciência ecológica é muito importante.
Confira o Projeto da Casa 88° em detalhes : Clique aqui
Fonte: Assessoria de Imprensa - Pitanga Comunicação
Data de publicação: 06 de Abril de 2015
Notícias

novo site codda metais
EMPRESAS
Novo site Codda Metais
CURSOS
Um novo impasse para a legalização dos Drones
CURSOS
CBCA premia vencedores do 10º Concurso para Estudantes de Arquitetura
EVENTOS
Indústria da impermeabilização se reúne em outubro no 8º seminário sobre o tema

trimble inicia construcao do segundo predio da empresa com solucoes proprias
ARQUITETURA
Trimble inicia construção do segundo prédio da empresa com soluções próprias
ARQUITETURA
Alunos do Instituto Mauá de Tecnologia estudam a primeira cidade inteligente Social do mundo
CONSTRUÇÃO CIVIL
Bandagem garante reparo rápido de tubulações industriais
CONSTRUÇÃO CIVIL
Bandagem garante reparo rápido de tubulações industriais

movimat apresenta solucoes integradas para otimizar custos de toda a cadeia logistica
EVENTOS
MOVIMAT apresenta soluções integradas para otimizar custos de toda a cadeia logística
CURSOS
CBCA lança curso avançado sobre Light Steel Framing
EMPRESAS
Tupy é a 13ª no ranking FDC das empresas mais internacionalizadas do Brasil
CURSOS
Vencedores do Prêmio Talento Engenharia Estrutural 2017