Fale conosco Anuncie Sobre o Met@lica Links Recomendados
OBRAS ARTIGOS TÉCNICOS MATERIAIS E PRODUTOS GUIA DE EMPRESAS TABELAS PROGRAME-SE NOTÍCIAS
Casas Submarinas - Floating Seahorse
Lidíssimas, luxuosas e extraordinariamente caras, as casas Seahorses, (casas cavalo marinhos) são o que há de mais inovador no mundo da engenharia na era atual.
Já pensou morar no fundo do mar? Impossível? Não mais.

Se Júlio Verne fosse vivo iria ficar literalmente de queixo caído, isso porque nem ele com toda sua pródiga imaginação pode conceber um projeto de tamanha envergadura e magnitude.

Afinal, qual é o limite de da criatividade e tecnologia aliada ao mar de dinheiro que flui de forma inesgotável dos bolsos dos grandes empresários em Dubai?
Não resta dúvida de que é possível fazer quase tudo quando se tem dinheiro em profusão.
O local que lembra um cenário das aventuras secretas de James Bond localiza-se ao largo da costa de Dubai, e pode ser descrito como um bairro de casas flutuantes.

A responsável pela construção é a agência imobiliária Kleindienst em um projeto desenvolvido pela empresa "Heart of Europe"(Coração da Europa).

As casas possuem têm três níveis principais: o piso ao nível do mar, um deck superior e um nível inferior completamente submerso em água.
Sonho de todos, privilégio de poucos.

O nível inferior consiste em um quarto principal com janelas do chão ao teto para uma visão completamente "ininterrupta" do oceano ao seu redor em uma tentativa de possibilitar aos moradores vislumbres da vida marinha.
Casa + Barco + Submarino = Seahorse House
A casa horse house é "essencialmente um barco e não uma casa", de acordo com uma definição da Kleindienst diante dos componentes e localização da inusitada construção.

É um barco que não se move, com uma cozinha totalmente equipada e um jacuzzi com fundo de vidro no convés ao sol que permite que os usuários observem a paisagem do local com a vista de Dubai em uma visão de tirar o fôlego.
Toda estrutura é um luxo só e abastecida com o que há demais moderno e funcional para o perfeito funcionamento da casa.

Foram construídas, 42 casas e 35 já foram vendidos.

O projeto está programado para ser concluído até o final desse ano, e os seus primeiros inquilinos possivelmente já poderão comemorar 2017 em estilo esplendoroso.
Oferta e oportunidade privilegiada
“Muitos sonham em viver perto da vida marinha e da vida subaquática e o grupo é feliz por oferecer essa experiência para poucos privilegiados em Dubai”. Josef Kleindienst , presidente da Kleindienst Group

Os “privilegiados”, conforme definiu o próprio presidente, vão precisar apenas de 2,7 milhões (aproximadamente R$ 8,9 milhões), para que possam desfrutar do prazer indelével da aventura de morar em cima e dentro d´agua.
Projeto busca harmonia ambiental
Apesar de toda tecnologia empregada na realização da obra, as casas submersas seguem um rigor estrito em termos de preservação ao entorno natural.


A ver, o projeto não foi nomeado de Floating Seahorse (Seahorse em inglês significa cavalo-marinho) à toa, mas sim justamente como uma forma de dará a entender a todos que essa obra não é apenas mais um capricho de novos ricos, muito pelo contrário.

A palavra de ordem é ‘’construir, sem destruir’’. A preocupação com a preservação e o equilíbrio da vida marinha são pontos marcantes e fundamentais do projeto que busca de todas as formas manter a harmonia e garantir uma existência evergreen à fauna e à flora da região.

Uma das espécies em extinção no oceano é de cavalo-marinho e a ideia é implementar sua preservação e sua existência no futuro, criando uma fortaleza de corais artificiais que serão como um muro protetor esses animais.

"Vamos criar um recife de coral artificial sob as casas ", disse o CEO Kleindienst Josef Kleindienst, num comunicado de imprensa. "Essa será uma área protegida em que os cavalos-marinhos podem viver em paz e com segurança."

O risco ambiental, está, portanto, mais ligado ao comportamento humano do que propriamente ao projeto em si pois o comportamento humano é sempre uma incógnita.
O convívio harmonioso e saudável com o ambiente depende unicamente da consciência e educação ecológica.

A maior parte do material utilizado é de vidros e, ao menos pelo que foi apresentado, não deverá afetar o ambiente marinho – sendo, inclusive, um dos pilares da defesa do projeto o fato do bem que poderão fazer aos cavalos-marinhos.

Ao mesmo tempo, já cria margem para uma grande expectativa sobre as próximas inovações que Dubai levará ao mundo.
Líderes em inovação e tecnologia quando o assunto é arquitetura, novidades ainda mais interessantes devem surgir nos próximos anos.
As casas possuem vários modelos, decoração, móveis e podem ser desenhadas exclusivamente de acordo com os desejos do comprador, mas seguem padrão de 3 níveis de construção, uma parte submersa, uma parte na superfície e mais um a andar acima. Observem os diferentes modelos a seguir:
Conclusão

O custo de uma casa custando milhões em qualquer moeda não contribui para popularidade dessa construção pois é uma aquisição quase inviável para maioria dos países do mundo, já que poucas empresas nesse planeta tem a possibilidade de realizar um investimento deste porte.

São, portanto, raríssimas as pessoas que possuem a oportunidade de observar de perto a interação das diversas formas de vida.

Para quem tiver a oportunidade de conhecer as casas submersas, vale a pena. As fotos disponibilizadas na internet já dão uma introdução ao que se pode esperar da vivência real.

Para ver um pouco mais desse sonho, acesse:




A ideia é incrível e ganhará ainda mais força se o objetivo ambiental conseguir ser cumprido.
Ficha Técnica

Cidade/país: Dubai / Emirados Árabes Unidos
Inauguração: 2016
Material: aço, madeira e vidro
Arquiteto/engenheiro: Josef Kleindienst
Fonte: Redação : Equipe Portal Metálica - Lia Gonzaga.
Data de publicação: 06/01/2017