Fale conosco Anuncie Sobre o Met@lica Links Recomendados
OBRAS ARTIGOS TÉCNICOS MATERIAIS E PRODUTOS GUIA DE EMPRESAS TABELAS PROGRAME-SE NOTÍCIAS
PLATAFORMAS DE PETRÓLEO - Como são projetadas e construídas
Os Estados Unidos foram os pioneiros no estudo e desenvolvimento de tecnologias voltadas para extração do petróleo.

Inicialmente os poços explorados eram em terra (onshore), mas foi observado no campo petrolífero de Summerland, no condado de Santa Barbara, Califórnia, Estados Unidos que os poços próximos ao mar eram os mais produtivos. Foram perfurados poços na praia com resultados promissores o que levou alguns a considerarem a possibilidade de extrair petróleo no mar.

Em 1896 foram construídos píeres de madeira que se estendiam por várias centenas de metros no oceano e os poços perfurados.
Poços de petróleo perfurados com auxílio de píeres de madeira em Summerland, no condado de Santa Barbara, Califórnia.
Vista de um dos píeres para a costa do campo petrolífero de Summerland no condado de Santa Barbara.
Em 1911, no lago Caddo, Louisiana o uso de píeres foi abandonado e os poços de petróleo foram perfurados usando rebocadores e barcaças. Plataformas foram construídas a cada 600 pés em cada local de 10 acres.
Plataformas construídas no lago Caddo, 1911.
Desde então, a descoberta de novas reservas petrolíferas offshore (fora da terra), tem impulsionado o progresso nas pesquisas e desenvolvimentos de plataformas marítimas.
Como são projetadas

Antes das plataformas offshore serem construídas e instaladas no ponto de operação, um estudo sobre sua viabilidade técnica e econômica é realizado.A escolha do local onde ficará a plataforma no reservatório petrolífero é essencial na redução dos custos. Quando a implantação é comprovada viável se inicia o projeto detalhado da plataforma.

Ao serem projetadas fatores como o vento, as correntes marinhas, as ondas, terremotos, icebergs, tsunamis, temperatura e o peso próprio são levados em consideração.Além disso, o tipo de plataforma é escolhido conforme as restrições impostas pelo local que será explorado, tais como:

• Tipo de operações;
• As condições do fundo do mar;
• Pressão e temperatura dos poços;
• Carregamentos dinâmicos e aleatórios;
• Carregamentos impostos pelo meio.
Analisadas essas restrições os componentes estruturais e a arquitetura são definidos. Também são elaborados documentos técnicos que definem como os trabalhos devem ser executados bem como as responsabilidades dos colaboradores e são planejados prazos para manutenções futuras.
Como são construídas

Definido o projeto, a fabricação dos componentes em terra é iniciada. Geralmente a plataforma é construída em blocos, facilitando o transporte para o local de operação. Estes blocos podem ser montados em diferentes canteiros de obra para diminuir o tempo de fabricação.

O transporte das peças do local de fabricação até o mar as vezes é feito por carretas hidráulicas. O transporte marítimo até o ponto de operação pode ser feito por uma barcaça e um reboque oupor um navio Heavy Lift.

A barcaça e um reboque são utilizados para transportar plataformas com estruturas leves em campos petrolíferos próximos da costa. A plataforma é retirada da carreta ou do solo por um guindaste que o coloca sobre a barcaçaque é movida pelo reboque até o ponto de operação.Ao chegar ao ponto de operação, os blocos ou módulos da plataforma são içados da barcaça, por guindastes, lançados ao mar e acoplados.
O navio Heavy Liftsuporta plataformas com 60 mil toneladas. A transferência da plataforma ou dos módulos do solo para o navio é feito por um guindaste assim como na barcaça. Ao chegar ao ponto de operação água de lastro é utilizada para afundar o navio de tal maneira que a plataforma ou a peça flutue na água para iniciar a instalação.

O navio é mais estável e mais rápido do que a barcaça. Além de não ser tão suscetível a meteorologia.
Em 2011 um procedimento de lançamento inédito foi utilizado no Brasil. Foi realizado o lançamento de uma plataforma autoelevatória a partir de uma balsa em flutuação. O lançamento, o deslizamento da plataforma pela balsa até a água, durou apenas 10 segundos. O lançamento inovador exigiu mais de três anos de pesquisa, cálculos, análises e testes. A colocação da plataforma sobre a balsa durou aproximadamente 15 horas. Levada por rebocadores até o local do procedimento, a balsa foi submetida a um lastro diferencial entre proa e popa, criando o ângulo ideal para o lançamento.
Depois de montada a plataforma é ancorada e então testes são realizados para verificar se esta tudo conforme o projeto. Iniciada a operação todo o processo de produção é monitorado e manutenções preventivas e corretivas são realizadas periodicamente.
Fonte: Equipe Portal Metalica