Fale conosco Anuncie Sobre o Met@lica Links Recomendados
OBRAS ARTIGOS TÉCNICOS MATERIAIS E PRODUTOS GUIA DE EMPRESAS TABELAS PROGRAME-SE NOTÍCIAS
Hotel Renaissance Fire em Barcelona
O arquiteto francês Jean Nouvel, uniu-se com o estúdio local Ribas & Ribas para projetar um hotel de 27 andares, com duas torres unidas por um jardim vertical de 110 m de altura.
Localizado em uma área onde acontecem grandiosas feiras durante o ano e inaugurado oficialmente em maio de 2013, levou sete anos para ser construído, e pertence à rede de Hotéis Catalonia em colaboração com a Marriot International.
A obra consiste em duas torres de 110 m, unidas por dois corpos de circulação vertical que formam um átrio central ao ar livre, que se interrompe apenas nas plantas destinadas ao restaurante e cozinha. O espaço que fica entre as torres é cercado por vidros e conta com um paisagismo que inclui vegetação de cinco continentes diferentes.
Uma pele de vidro serigrafado, com o motivo da palmeira, envolve a totalidade das fachadas do edifício e também o átrio interior.

Atrás da cortina de vidro, há um painel de concreto: este espaço entre as duas camadas da fachada, contribui para a eficiência energética do edifício.

As fachadas das torres são de um branco brilhante nas elevações sul, leste e oeste, a fim de reduzir o ganho solar, devido à exposição ao sol. Já a fachada norte é preto fosco para ajudar a absorver o máximo de radiação solar possível durante o curto espaço de tempo ela fica exposta ao sol.
A empresa ESCOFET participou com a produção dos painéis pré fabricados de concreto para o fechamento das torres, que possuem a dupla função de fachada interna e suporte da fachada externa de vidro serigrafado.
Os painéis foram fabricados em dois modelos: o primeiro, medindo 3,8 x 3 metros, inclui a janela em forma de palmeira das suítes, localizados nas laterais maiores e o segundo de 3 x 7 metros com uma abertura em forma oval utilizada no fechamento dos quartos localizados nas faces estreitas das torres.
A construção foi concebida de modo a fazer uso de luz natural durante o dia, também contribuindo para a eficiência da energia. A intenção declarada dos arquitetos era conseguir um "elemento que vivesse em permanente transformação", através da interação constante de luz e sombra no interior do edifício e da fusão do design com a natureza.
O hotel oferece no primeiro andar 11 salas para reuniões, distribuídas em 1.200 metros quadrados de espaço, que podem receber mais de 1.000 pessoas, e possui vegetação natural nos principais corredores de hóspedes e no impressionante átrio central.

Situado a 50 metros de altura aparece o Restaurante Panorâmico, um nexo de integração das duas torres que formam o edifício. O espaço, totalmente envidraçado, oferece, pela sua privilegiada localização, impressionantes vistas panorâmicas. Com inspiração mediterrânea o restaurante é rodeado por abundante paisagismo que se integra ao jardim vertical.
No interior da área reservada aos hópedes, as 357 suítes de linhas brancas e puras destacam as janelas inusitadas em forma de folhas de palmeira.
O hotel oferece também 6 suítes panorâmicas localizadas no último andar que dispõem de terraço com jardim privativo, espaço relax e tecnologia superior com detalhes inovadores.
No topo do hotel o terraço da cobertura, com bar e piscina, oferece vistas panorâmicas, onde os hóspedes podem relaxar sob a sombra de cabanas e plantas. A arquitetura moderna complementada pela vegetação exuberante cria uma atmosfera serena e relaxante.
PLANTAS E CORTE
Localização: Barcelona, Espanha
Arquitetos: Ateliers Jean Nouvel e Ribas & Ribas
Painéis cimentícios: Escofet
Fotos: Roland Halbe
Arquitetos Jean Nouvel e José Ribas
Fontes:
www.jeannouvel.com
ribas-arquitectos.com
www.escofet.com
www.aasarchitecture.com
Data de publicação: 24/03/2014