Fale conosco Anuncie Sobre o Met@lica Links Recomendados
OBRAS ARTIGOS TÉCNICOS MATERIAIS E PRODUTOS GUIA DE EMPRESAS TABELAS PROGRAME-SE NOTÍCIAS
Aplicação de estacas-pranchas em estacionamento subterrâneo na França
Soluções em contenção: Estacas-pranchas de aço laminadas a quente
Tourcoing está situada a 10 km ao norte de Lille, bem próxima da fronteira com a Bélgica. Famosa pela sua indústria têxtil do séc. XIX, a cidade francesa passou recentemente por um grande programa de desenvolvimento conduzido pela comunidade urbana da área metropolitana de Lille para aumentar a atratividade do centro da cidade. O projeto envolve a construção de um shopping center no estilo moderno, um núcleo de transporte usado pelo metrô, transvia e ônibus, bem como o desenvolvimento de áreas residenciais e públicas.

Entre as áreas residenciais a serem desenvolvidas estava um bloco de apartamentos de 40 unidades na esquina da Rue de Chanzy e Rue Lehoucq.

Um nível subterrâneo e quatro níveis superiores seriam construídos nos arredores densamente popularizados.

Em razão da transvia próxima e das estruturas existentes incluindo um monastério do séc. XIX, o local da construção estava sujeito a uma série de constrangimentos. A deflexão da parede de estaca-prancha estava limitado a 20 mm. Uma vida útil de cinquenta anos tinha de ser garantida para os elementos de aço. Uma barreira de nove metros de altura foi erguida para a proteção de linhas de energia de alta-tensão nas proximidades.

As paredes de contenção em estaca prancha metálica exigem somente um mínimo de espaço e eram, portanto, a solução ideal para o estacionamento subterrâneo mais recente de Tourcoing.

O projeto inicial considerou as estacas pranchas como elementos de uso temporário, com uma parede de concreto permanente. Posteriormente o projeto foi alterado considerando as estacas-prancha como contenção permanente. Além de contribuir para a impermeabilidade da escavação, a parede de estaca-prancha suporta as cargas horizontais da pressão de terra incluindo as cargas impostas pelo tráfego rodoviário e da transvia.
As cargas verticais da superestrutura residencial foram fixadas em uma fundação profunda de estacas de concreto.

Diversos furos de sondagem foram executados com uma profundidade de 16 m. A análise do solo revelou as seguintes camadas de solo (de cima para baixo):
um metro de aterro
até sete metros de areia pluvial siltosa para argilosa (ângulo de fricção interna: 20 – 28º, coesão de até 20 kN/m2)
lençol freático a 1,5 m abaixo do nível do solo (El. +40.30 m)
substrato de argila cada vez mais rígido até o fundo do furo
Um pré-furo de 460 mm de diâmetro foi executado, a fim de diminuir a resistência da argila para facilitar a cravação.

Principalmente perfis AZ 18 foram usados no projeto, bem como diversas estacas-pranchas PU 18, ambos os tipos em grau de aço S 240 GP. As estacaspranchas AZ e PU, variando de 7,5 a
8,5 m de comprimento, foram instaladas no substrato de argila rígida com um martelo vibratório ABI montado em guindaste (MRZV 925). Para evitar danos aos edifícios vizinhos, as vibrações foram severamente limitadas. Além disso, o canteiro foi equipado com equipamentos de medição de vibração especiais.

Uma vez que as estacas-pranchas tinham sido cravadas no substrato de argila, uma viga de coroamento de concreto reforçada foi lançada no topo das estacas. Tubos de aço de grande diâmetro foram fixados na viga para suportar a reação horizontal das paredes durante a fase de construção (escoramento temporária).

Tubos ancorados em dois pares de estacas duplas AZ 18 garantiram a estabilidade dos cantos de escavação.

Posteriormente os tubos foram substituídos pela laje de cobertura do estacionamento que passou a trabalhar como escoramento da parede de estaca prancha. Barras de reforço foram fixadas nas estacas-pranchas antes da laje ser executada, assegurando assim uma conexão adequada entre a parede de

Estaca-Prancha e Laje. As paredes de contenções da rampa de acesso também foram executadas em estaca-prancha.

O comprimento total da parede em AZ 18 foi de aproximadamente 150 m.
Para assegurar a impermeabilidade da escavação e também do futuro estacionamento subterrâneo, diversas medidas de vedação foram implementadas. Os conectores intermediários das estacas duplas AZ 18 foram soldados antes da entrega em Tourcoing. Além disso, os conectores que unem os pares de Estaca Prancha cravados abaixo da placa de fundo foram completados com substância de vedação betuminosa chamada Beltan.

Uma vez instaladas as estacas-pranchas metálicas, a escavação foi iniciada. Para permitir trabalhar a seco, foi utilizado um equipamento de rebaixamento do lenço freático, mantendo o nível 2 metros abaixo da cota natural. Após a conclusão dos trabalhos de escavação, os conectores visíveis de dentro da escavação foram soldados. Um pequeno sistema de drenagem horizontal completou o sistema de impermeabilização do estacionamento.

Como a estrutura superior é apoiada nas paredes de concreto, não foi necessário que a conexão entre a laje de fundo e as estacas-pranchas suportasse cargas significativas.

Como foram colocadas bombas dentro da escavação, elas tiveram de garantir simplesmente o bombeamento da água que percolava pelos conectores que ainda não haviam sido soldados.

Métodos de construção alternativos frequentemente requerem bombeamento do lençol freático durante todo o período de construção. Isto pode causar um requalque severo, pondo em risco as infra-estruturas das proximidades.140 toneladas de estacas-pranchas metálicas laminadas a quente e com uma viga de coroamento foram instaladas dentro de seis semanas, apesar da forma complexa da escavação. Iniciada em abril de 2006, a construção de edifícios residenciais em Tourcoing foi concluída até meados de 2007. As paredes de Estaca-Prancha foram revestidas em cores diferentes e são um bônus em termos estéticos para o estacionamento, evitando posterior manutenção e execução de paredes de acabamentos.
Data de publicação: 19/08/2010