Fale conosco Anuncie Sobre o Met@lica Links Recomendados
OBRAS ARTIGOS TÉCNICOS MATERIAIS E PRODUTOS GUIA DE EMPRESAS TABELAS PROGRAME-SE NOTÍCIAS
Estudos de interferências das linhas de transmissão de alta-tensão (69KV)
O estudo da interferência causada por linha de transmissão de energia elétrica (LT) iguais ou maiores que 69 KV, em duto revestido e enterrado, avalia o perfil de tensão através do revestimento isolante do duto quando ocorre curto-circuito monofásico em LT. Os resultados serão apresentados sob a forma de relatório técnico
Dados do duto necessários para o estudo:
    - Diâmetro, espessura e material da tubulação
    - Tipo e espessura do revestimento utilizado na tubulação
    - Localização dos pontos de afloramento da tubulação
    - Levantamento da resistividade elétrica do solo ao longo do encaminhamento da tubulação (distância x resistividade)
    - Plantas parciais de levantamento cadastral (traçado e perfil), em escala, incluindo 3 km para cada lado da aproximação (paralelismo ou cruzamento)
    - Desenhos esquemáticos que forneçam uma idéia geral da tubulação e a localização dos pontos de afloramento e juntas de isolamento elétrico da tubulação, bem como as suas características elétricas
    - Desenhos de detalhes dos pontos de afloramento.
Dados da Linha de Transmissão (LT)

Plantas parciais de levantamento cadastral (traçado e perfil), em escala, indicando o posicionamento e numeração de duas torres adjacentes ao ponto de cruzamento, as coordenadas topográficas dos pontos de inflexão da diretriz da tubulação e do centro das torres, ângulo de cruzamento entre a tubulação e a LT, a denominação da tubulação e da LT, conforme o croqui abaixo:
Observação: no paralelismo e/ou aproximação também deverão ser identificadas, no mínimo, duas torres adjacentes de forma a permitir a compatibilização dos traçados da tubulação e da LT.
Configuração da LT

Geometria da torre típica, altura média e bitola ou tipo dos condutores fase e pára-raios, segundo o exemplo abaixo:
Configuração do aterramento das torres

De acordo com a especificação e segundo os exemplos e tabelas abaixo:


Resistência de aterramento típica das estruturas;
Arranjo típico, bitola ou tipo e profundidade dos cabos contrapesos
Para cada uma das 3 torres à direita e à esquerda dos cruzamentos com a tubulação e ao longo do trecho de paralelismo: resistência de aterramento das estruturas e arranjo dos contrapesos
Observação: caso as informações acima não estejam disponíveis a concessionária deverá fornecer, pelo menos, o valor da resistência de aterramento típica do trecho. Resistência das malhas de terra das subestações terminais e suas distâncias às torres adjacentes ao cruzamento e/ou paralelismo.
Tempo de abertura da proteção da LT

Desenhos de planta e perfil, em escala, incluindo as torres da travessia. Além do desenho indicativo das torres da travessia são também necessários, para caracterizar a aproximação, desenhos anteriores e posteriores, totalizando 3 km para cada lado da travessia e/ou paralelismo.

Corrente de curto-circuito monofásico total nas torres adjacentes ao cruzamento, bem como as contribuições a montante e a jusante do ponto de curto, correspondendo a pior configuração do sistema elétrico no horizonte de planejamento.

No caso de paralelismo, solicita-se as correntes de curto-circuito e contribuições nas torres terminais do paralelismo, bem como a contribuição da LT para situações de curto-circuito monofásico em suas subestações terminais, conforme o croqui abaixo.
Fonte: Palessa
Data de publicação: 06/11/2012