Fale conosco Anuncie Sobre o Met@lica Links Recomendados
OBRAS ARTIGOS TÉCNICOS MATERIAIS E PRODUTOS GUIA DE EMPRESAS TABELAS PROGRAME-SE NOTÍCIAS
Segurança Eletrônica de Baixo Custo para Casas, Prédios e Condomínios
É muito comum emissoras de rádio e TV noticiarem diariamente roubos e invasões a casas, prédios e condomínios. Neste contexto, pessoas e empresas vem fazendo a aquisição de equipamentos eletrônicos de segurança. A disseminação das Redes de Telecomunicações impulsiona fortemente este mercado principalmente no quesito monitoração remota, ou seja, a partir de qualquer lugar do mundo onde haja uma boa conexão com a Internet você poderá monitorar a sua casa.

Ao contrário do que grande parte das pessoas imagina, hoje isso já é feito a partir de computadores de mesa, portáteis ou smartphones em tempo real sem gastar muito. Alguns fabricantes nacionais (Intelbrás, JFL Alarmes, Tec Voz, Giga etc) oferecem produtos de ótima qualidade, fácil instalação e configuração – como câmeras, centrais de alarmes e DVR´s (gravadores de vídeo digital) para CFTV´s (Circuitos Fechados de Televisão).

A figura 01 mostra o esquemático da instalação de uma central de alarmes que pode ser monitorada remotamente. Nesta configuração, os sensores de presença podem ser colocados em diferentes ambientes (que são chamados de zonas) de forma que o acesso a pessoas pode ser controlado de acordo com a conveniência. No caso de qualquer invasão, através da cerca elétrica ou numa das zonas, as sirenes tocarão e a discadora (de telefonia fixa ou móvel) lhe enviará um sinal alertando sobre a invasão. O banco de baterias irá garantir que o seu sistema continuará funcionado no caso de queda de energia e o botão de pânico é um item adicional nesta topologia, porém, em muitas aplicações práticas, ele é muito bem-vindo.
Figura 01 - Central de alarmes com monitoração remota.
A figura 02 ilustra a topologia de um CFTV acessível de forma remota. Nesta topologia as câmeras podem ser colocadas em áreas internas ou externas e todas elas são ligadas num DVR que armazena as informações dentro de um HD (Disco rígido). Essas imagens – e também os sons – podem ser acessíveis pela Internet em tempo real via um modem de alguma operadora de telecomunicações. Os sensores e a sirene são itens complementares nesse sistema, pois além de filmar, o sistema pode disparar a sirene coagindo o invasor.
Figura 02 - Central de CFTV com monitoração remota.
Os tipos de câmeras a serem utilizadas e a resolução delas varia, dependem do tipo das aplicações práticas e devem ser especificadas por profissionais ou empresas especializadas. Caso contrário, por exemplo, não será possível discernir a face de pessoas ou as placas de veículos.

É importante enfatizar que as centrais de alarmes ou de CFTV (DVR´s) devem estar alojadas em locais seguros para impedir o acesso de pessoas mal intencionadas. Deve-se trabalhar também em geral com mais de uma sirene. Neste ponto é importante lembrar que já existem empresas que estão lucrando muito vendendo serviços utilizando as duas topologias apresentadas neste artigo. Montar uma central de monitoração de alarmes ou de CFTV pode ser um ótimo negócio.

Com relação aos custos desses sistemas, considerando uma pequena residência, gastando por volta de R$600,00 é possível instalar uma central de alarmes completa ou com R$1.000,00 instalar um sistema de CFTV. Ressalta-se que os valores variam de fabricante para fabricante, marca e modelo dos equipamentos, e também de acordo com o tipo de tecnologia utilizada (um sistema de CFTV via IP - Internet Protocol - com certeza demandará um investimento bem mais significativo).

Como diz um antigo ditado: “Prevenir é melhor que remediar”. Dessa forma, fique atento a esse mercado e seus produtos. A tendência é que ele cresça muito nos próximos anos infelizmente graças a crescente sensação de insegurança.

*Cleidimar Pereira é Engenheiro Elétrico e professor da disciplina “Sistemas de Segurança – Prediais e Condomínios” do MBA Projeto, Execução e Controle da Engenharia Elétrica do Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG).
Autor: Cleidimar Pereira
Data de publicação: 28/09/2015