Fale conosco Anuncie Sobre o Met@lica Links Recomendados
OBRAS ARTIGOS TÉCNICOS MATERIAIS E PRODUTOS GUIA DE EMPRESAS TABELAS PROGRAME-SE NOTÍCIAS
Aplicação de estacas-pranchas em estacionamento subterrâneo em Miami
Soluções em contenção: Estacas-pranchas de aço laminadas a quente
Dadeland está localizada no sul de Miami, Flórida, EUA. O contrato para construir o projeto “Centro de Dadeland” de $170 milhões, um desenvolvimento de reurbanização de uso misto localizado no North Kendall Drive do lado oposto do Shopping de Dadeland, foi concedido para a contratante geral local Miller & Solomon. O projeto de destaque de 30.000 m2 no sul da Flórida é uma “vila dentro de uma cidade” incluindo 416 residências em condomínio, uma área de varejo de 11.500 m2 um amplo estacionamento subterrâneo para 970 carros, todos formando sete pequenos edifícios. O projeto foi concluído na primavera de 2005.

O projeto foi iniciado no começo de 2004 com a contratante local Ebsary Foundation indicada como subcontratada para as obras de fundação, incluindo a instalação de estacas-pranchas.
A larga experiência da contratante com projetos de fundação no estrato de solo altamente variável do sul da Flórida se comprovou inestimável. Investigações geológicas do canteiro do centro de Dadeland foram realizadas pela Kaderabek Company, empresa de consultoria geotécnica de Miami. Foi encontrada água três metros abaixo do solo dentro da camada superior de 4 m de profundidade, uma camada de calcário de Miami caracterizada pelos valores do SPT variando de 30 a 50 golpes. Abaixo da camada de calcário de Miami, 3 m de areia fofa (SPT: 10- 20 golpes) pesam sobre denso calcário e arenito onde os testes SPT atingiram 100 golpes. As camadas de roca do sul da Flórida em conjunto com o alto lençol freático com frequência exigiam construções subterrâneas caras e lentas.
Uma solução de estaca-prancha de bottom-up foi escolhida para o projeto ao invés de suporte de escavação provisório e convencional e de uma parede de concreto in-situ em razão do custo significativo e prazo de execução no programa a que ela induzia. As estacas pranchas usadas como elementos de contenção permanentes simplificam de modo considerável o processo de construção. O sistema de fundação separada consistindo em colunas portantes de concreto para os sete prédios de sete andares foi construído primeiro.
As estacas-pranchas da parede de contenção para a escavação de 7,5 m de profundidade para o estacionamento subterrâneo de dois níveis tiveram de ser cravadas através do calcário para atingir a elevação do projeto.

ArcelorMittal forneceu um pacote de fundação completo incluindo recomendações de design, especificação dos perfis de estaca-prancha e orientação in-situ para a equipe de construção.

A solução inovadora envolvia o uso de estacas-pranchas de aço como elementos de contenção permanente, uma vez que a escavação foi concluída e com paredes de separação provisória dividindo o canteiro em um número de baías de construção. A subdivisão em diversas secções primariamente reduziu o lançamento de concreto para a laje de fundo em tamanhos manejáveis.
Cerca de 3.000 toneladas de estacas pranchas de aço foram instaladas com um martelo vibratório montado em guindaste usando um gabarito de um nível para orientação. Aproximadamente metade das estacas permaneceu no solo no final da construção como parede externa permanente da estrutura da fundação. Estacas-pranchas AZ 26 de 9 m de comprimento com uma espessura de alma / flange de 12,2 / 13,0 mm foram escolhidas para assegurar a penetração através das camadas de solo rígido à profundidade requerida no projeto. Uma estaca HP encaixada com uma proteção de cravação foi inserida diante da linha de estacas-pranchas para fragmentar a roca, permitindo que as estacas-pranchas fossem cravadas sem causar danos.
Uma vez que a cravação da estaca estava concluída, a forma de concreto foi montada na cabeça das estacas pranchas e uma viga de concreto foi executada. A viga de coroamento incorporou o sistema de ancoragem provisório para suportar os esforços até a instalação da laje do piso. O interior da primeira baía foi escavado a El. -7,5 m.

Os mergulhadores inspecionaram e onde necessário limparam as estacas pranchas no fundo da escavação para assegurar uma conexão adequada com a placa de fundo. Concreto submerso foi executado para criar uma laje de 1,2 m de espessura que permitiu uma vedação suficiente para que a construção começasse dentro de uma escavação a seco. As estacas-pranchas, que estavam sob pressão, com o bombeamento da água interna, transferiram o esforço para o concreto, vedando assim de modo eficiente a água que tentava percolar pela junta concreto-aço.
Os conectores das estacas duplas AZ 26 tinham sido soldados antes da instalação. Uma vez que o lençol freático era bombeado para fora da escavação, os conectores restantes eram vedados com solda. Quando a vedação estava concluída, as estacas servindo como paredes permanentes foram limpas e uma pintura estética foi aplicada. Os requisitos de vida útil e os outros resultantes da análise de incêndio foram facilmente atendidos pela solução de estaca-prancha exposta.
Data de publicação: 19/08/2010