Fale conosco Anuncie Sobre o Met@lica Links Recomendados
OBRAS ARTIGOS TÉCNICOS MATERIAIS E PRODUTOS GUIA DE EMPRESAS TABELAS PROGRAME-SE NOTÍCIAS
photo
photo
photo
photo
photo
photo
photo
photo
photo
photo

Aneel fará audiência pública para debater regras de microgeração

Há mais de 53 mil unidades consumidoras usando o sistema de micro ou minigeração distribuída.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira (22) a abertura de audiência pública para discutir alterações nas regras da mini e microgeração de energia elétrica, a chamada geração distribuída. Por esse modelo, o consumidor é quem produz a própria energia, a exemplo do uso de painéis solares. A audiência pública ocorrerá entre os dias 24 de janeiro e 19 de abril.

Pelas regras atuais, quem produz a própria energia pode injetar a energia excedente gerada na rede da distribuidora. Essa energia pode ser utilizada para abater até a totalidade da conta de luz de uma ou mais unidades do mesmo titular.

No modelo atual, os consumidores não pagam pelo uso da rede de fios das distribuidoras de energia. De acordo com a Aneel, a audiência tem por objetivo analisar diferentes alternativas para “o Sistema de Compensação de Energia Elétrica, previstos na Resolução Normativa 482/2012, tendo em vista a necessidade de definir uma forma de valoração da energia injetada na rede que permita o crescimento sustentável da geração distribuída no Brasil.”

Dados da Aneel mostram que, atualmente, há mais de 53 mil unidades consumidoras usando o sistema de micro ou minigeração distribuída e gerando um total de 660,13 MegaWatts (MW) de energia, a maior parte delas usam placas solares para gerar energia.

A distribuidora guarda essa sobra da energia para ser usada em momentos que o sistema não está gerando energia. Assim, a energia injetada na rede pelo micro ou minigerador acaba sendo valorada pela tarifa de energia elétrica estabelecida para os consumidores.

A proposta da Aneel é que as regras atuais sejam mantidas até que a potência de micro e minigeração distribuída instalada em cada distribuidora alcance determinado nível, tanto para sistemas remotos como locais (quando a compensação ocorre no mesmo endereço onde a energia é gerada).

Segundo a agência, “a manutenção das regras atuais indefinidamente pode levar a custos elevados para os demais usuários da rede, que não instalaram geração própria. Nesse sentido, seria necessária uma modificação nas regras após uma maior consolidação do mercado de geração distribuída.”

O diretor-geral da Aneel, André Pepitone, disse que as novas regras valerão para os novos usuários na geração distribuída. Para quem já está no mercado, valem as regras atuais. “Temos estabilidade regulatória, a regulação é para o futuro, para novos entrantes”, disse Pepitone para quem o crescimento da geração distribuída é um “movimento inexorável, que permite o empoderamento do consumidor”.

A revisão nos regulamentos terá sessões presenciais no dia 21 de fevereiro, em Brasília, e em 14 de março, em São Paulo. Uma terceira reunião será realizada em Fortaleza (CE), em 11 de abril.

 
Notícias

dicas de plantas incriveis para montar um jardim vertical em casa
ARQUITETURA
Dicas de plantas incríveis para montar um jardim vertical em casa
TECNOLOGIA E INOVAÇÃO
Brasileiros investem em casas inteligentes
CONSTRUÇÃO CIVIL
Aço está presente na estrutura de pontes e pórticos rolantes
ECONOMIA E MERCADO
Setor da construção, governo e judiciário reforçam importância de retomar obras paradas

ECONOMIA E MERCADO
Investimento em casas para locação em Orlando é boa opção para brasileiros
ARQUITETURA
Primeira ponte em aço do Brasil: atravessando séculos
TECNOLOGIA E INOVAÇÃO
CNC Monitor, a primeira plataforma 100% gratuita que conecta todas as máquinas de usinagem
ARQUITETURA
Elegante casa de adobe capta energia solar que quase zera conta

ECONOMIA E MERCADO
Emprego no setor da construção civil em Minas cresce quase 90%
ECONOMIA E MERCADO
Termômetro da Abramat indica setor reticente, mas otimista no longo prazo
INFRAESTRUTURA
Área mais carente da infraestrutura, saneamento só cobrirá país após 2060
EVENTOS
Grupo JUNKER na EXPOMAFE