Fale conosco Anuncie Sobre o Met@lica Links Recomendados
OBRAS ARTIGOS TÉCNICOS MATERIAIS E PRODUTOS GUIA DE EMPRESAS TABELAS PROGRAME-SE NOTÍCIAS
photo
photo
photo
photo
photo
photo
photo
photo
photo
photo

Pesquisa do Sinduscon-MG revela que o número de imóveis novos disponíveis para venda caiu em Belo Horizonte e Nova Lima

Estudo mostra que o estoque de imóveis disponíveis no mercado diminuiu nos últimos três anos; dados indicam necessidade de investimento em novos empreendimentos

O mercado imobiliário de Belo Horizonte e Nova Lima encerrou 2018 com dois destaques para o setor: se por um lado, foi registrada a venda de 3.440 imóveis novos —número 42,15% maior que as 2.420 unidades vendidas em 2017—, em contrapartida, o estoque de unidades disponíveis para vendas caiu. Em dezembro, as cidades registravam 3.628 apartamentos novos disponíveis para comercialização, número 21,78% menor se comparado a dezembro de 2017, com 4.638 unidades. É o menor patamar da série histórica do Censo Imobiliário divulgado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG).

Os números demonstram que, nos últimos três anos, o mercado imobiliário da capital mineira e de Nova Lima vendeu mais do que lançou, fazendo com que a oferta disponível de imóveis novos venha diminuindo ano a ano.

O Censo Imobiliário também evidencia que as unidades em estoque estão concentradas em quatro regiões de Belo Horizonte: 66,92% nas regiões da Pampulha, Centro Sul, Oeste e Venda Nova da capital. A Pampulha se destaca com 793 unidades, 21,9% do total disponível para comercialização.

Os apartamentos que correspondem à categoria padrão econômico, com valores de até R$ 215 mil, lideraram três categorias do Censo: número disponível em estoque para comercialização, maior número de vendas e maior número de lançamentos.

Em dezembro, do total de 3.628 unidades disponíveis, 1.071 (29,5%) eram do padrão econômico. Em segundo lugar, apareciam os apartamentos com padrão médio, valores entre R$ 400.001 e R$ 700.000, que somavam 979 unidades (27% do total).

No quesito vendas, os apartamentos de padrão econômico registraram 1.233 unidades, o que correspondeu a 35,8% do total residencial comercializado no período. Os apartamentos de padrão médio também ficaram em segundo lugar em vendas, com 778 unidades, 22,6% do total.

O estudo demonstrou que, das 2.430 unidades lançadas, 1.192 (49,1% do total) eram do padrão econômico. E 432 unidades eram do padrão médio, com 17,8% do total.

As regiões da Pampulha, Centro Sul e Oeste foram as que apresentaram o maior volume de vendas: 25,8%, ou seja, 886 unidades foram vendidas somente na Pampulha.

Mais da metade dos 2.430 imóveis lançados em 2018 estavam concentrados em duas regiões: na Pampulha, que registrou 700 unidades, e na Centro Sul, com 549 imóveis.

Segundo o vice-presidente da Área Imobiliária do Sinduscon-MG, Renato Michel, os dados demonstram a necessidade de investimento em novos empreendimentos. “Em Belo Horizonte, as vendas estão, sistematicamente, superando o volume de lançamentos, o que tem reduzido o estoque. Se não houver mais incremento no lançamento, pode vir a faltar imóveis novos na capital mineira. Esse é um receio que os dirigentes do setor têm, caso o novo Plano Diretor seja aprovado como está. A implementação, por exemplo, da chamada Outorga Onerosa, trará mais custos à construção, dificultando novos investimentos e, por consequência, a geração de novos empregos. Dessa forma, é importante frisar, novamente, que pode vir a faltar imóveis em BH, dado que o estoque é muito baixo e ficará muito mais difícil construir na cidade”, afirma.

Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) - Em 2018, foram vendidas 7.523 unidades residenciais nas cidades de Belo Horizonte, Nova Lima, Betim, Contagem e Santa Luzia.

Betim, Contagem e Santa Luzia são responsáveis por 54,27% das vendas de apartamentos novos, o que correspondeu a 4.083 unidades em 2018.

Considerando as cidades de Belo Horizonte, Nova Lima, Betim, Contagem e Santa Luzia, os lançamentos totalizaram 7.093 unidades, sendo que o município de Belo Horizonte foi responsável por apenas 31,64 % deste número, ou seja, 2.244 unidades.

A cidade de Contagem foi responsável pelo lançamento de 2.217 unidades e Santa Luzia por 1.338 unidades.

Sobre a pesquisa

censo do mercado imobiliário de Belo Horizonte e Nova Lima é apurado pela  Bureau de Inteligência Corporativa (Brain) para o Sinduscon-MG. O estudo contém dados sobre o volume de empreendimentos ofertados, unidades lançadas, padrões imobiliários ofertados, níveis de estoque por produto, padrão e região, tipologias, localização, preços médios e demais informações pertinentes a um levantamento completo do mercado – residencial e comercial.

Notícias

CONSTRUÇÃO CIVIL
Otimismo da Indústria de materiais cresce em fevereiro
ECONOMIA E MERCADO
Construção peruana deve crescer exponencialmente
ARQUITETURA
Elétrica e solar, residência gera mais energia do que consome
EMPRESAS
Emccamp lança condomínio fechado em Ribeirão das Neves

ECONOMIA E MERCADO
Apesar de ainda se observar queda nas atividades, construtores mineiros permanecem otimistas
ARQUITETURA
Em dois níveis, fluxos independentes
INFRAESTRUTURA
AES Tietê inaugura primeiro sistema de armazenamento de energia do País
ECONOMIA E MERCADO
Construção quer elevar lançamentos em 30%

EMPRESAS
Lafaete pretende ampliar faturamento em 34% neste ano com serviços em steel frame
ARQUITETURA
Prédio em Goiás terá fachada de vidro capaz de gerar energia solar
ARQUITETURA
Reforma dota duplex de sala ao ar livre
ARQUITETURA
Nova ponte do Guaíba ganha prêmio nacional de sustentabilidade