Fale conosco Anuncie Sobre o Met@lica Links Recomendados
OBRAS ARTIGOS TÉCNICOS MATERIAIS E PRODUTOS GUIA DE EMPRESAS TABELAS PROGRAME-SE NOTÍCIAS
photo
photo
photo
photo
photo
photo
photo
photo
photo
photo

Índice de Confiança da Construção tem queda após 8 meses de melhoras

Após 8 meses seguidos de melhoras, o Índice de Confiança da Construção (ICST), da Fundação Getulio Vargas (FGV), caiu 0,4 ponto em fevereiro, atingindo a marca de 85 pontos. Em médias móveis trimestrais, o indicador manteve-se em alta pelo sexto mês consecutivo, como mostra levantamento divulgado pela instituição nesta segunda-feira (25).

Para a Coordenadora de Projetos da Construção do Instituto Brasileiro de Economia da FGV IBRE, Ana Maria Castelo, a queda no ICTS de fevereiro não significa uma reversão. “Outros indicadores como o de evolução da atividade corrente e o de emprego previsto tiveram crescimento em fevereiro. Mas a queda na confiança indica que o ritmo de recuperação da atividade da construção deve continuar a passos muito lentos”, observou.

Em fevereiro, a queda do ICST foi influenciada exclusivamente pela piora da situação atual. O Índice de Situação Atual (ISA-CST) caiu 0,7 ponto, para 74,4 pontos. O resultado negativo veio principalmente da contribuição do indicador que mede o grau de satisfação com a situação atual dos negócios, que recuou 1,3 ponto para 75,7 pontos, menor nível desde outubro de 2018 (74,7).

O Índice de Expectativas (IE-CST) variou 0,1 ponto e atingiu 96,0 pontos. O indicador que determinou a alta foi o que mede o otimismo com a demanda prevista nos três meses seguintes, que subiu 1,9 ponto, atingindo 95,3 pontos.

Veja a pesquisa na íntegra.


Índice nacional de Custo da Construção aumenta em fevereiro

Outra pesquisa divulgada hoje pela FGV aponta que o Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M) subiu 0,19% em fevereiro, percentual inferior ao resultado do mês anterior, que foi de 0,40%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços repetiu a taxa de variação do mês anterior, quando registrou 0,36%. O índice referente à Mão de Obra variou 0,05%, ante taxa de 0,43% no mês anterior.

Três capitais apresentaram desaceleração em suas taxas de variação: Belo Horizonte, Recife e Rio de Janeiro. Em contrapartida, Salvador, Brasília, Porto Alegre e São Paulo apresentaram acréscimo em suas taxas de variação.

Notícias

CONSTRUÇÃO CIVIL
Otimismo da Indústria de materiais cresce em fevereiro
ECONOMIA E MERCADO
Construção peruana deve crescer exponencialmente
ARQUITETURA
Elétrica e solar, residência gera mais energia do que consome
EMPRESAS
Emccamp lança condomínio fechado em Ribeirão das Neves

ECONOMIA E MERCADO
Apesar de ainda se observar queda nas atividades, construtores mineiros permanecem otimistas
ARQUITETURA
Em dois níveis, fluxos independentes
INFRAESTRUTURA
AES Tietê inaugura primeiro sistema de armazenamento de energia do País
ECONOMIA E MERCADO
Construção quer elevar lançamentos em 30%

EMPRESAS
Lafaete pretende ampliar faturamento em 34% neste ano com serviços em steel frame
ARQUITETURA
Prédio em Goiás terá fachada de vidro capaz de gerar energia solar
ARQUITETURA
Reforma dota duplex de sala ao ar livre
ARQUITETURA
Nova ponte do Guaíba ganha prêmio nacional de sustentabilidade